Como escolher um plano de saúde que cabe no seu bolso

Quer saber como escolher um plano de saúde BH e ver que ele não é tão caro quanto você imagina para sua realidade?

Atualmente temos várias possibilidades de plano de saúde com excelentes benefícios até mesmo maiores que os custos e você pode optar por serviços de acordo com o que você precisa.

Se você calcular, você vê que é mais vantajoso pagar um plano mensal e ter o direito de consultar, realizar exames e internações do que gastar com consultas particulares ou esperar horas por um atendimento no SUS.

Quer ver como selecionar um plano de saúde que você dê conta de pagar?

Prossiga a leitura e verifique.

Como escolher um plano de saúde do zero

Conseguir optar por um plano de saúde é necessário para assegurar um auxílio médico qualificado e uma precaução para momentos de urgência.

Afinal de contas, nós não conseguimos prever quando vai acontecer um acidente ou enfermidade, então o mais seguro é contar com um convênio para não ter maiores dificuldades nessas horas.

Quando você não tem um convênio, você consegue optar por duas coisas: ter despesas em um atendimento particular ou recorrer ao SUS.

Ainda que o SUS tenha suas qualidades, ele nitidamente não consegue atender a todos, especialmente na rede de atenção básica. O atendimento particular possui custos altos e acaba deixando você em dívida por um longo período, dependendo da dificuldade do caso.

Uma cirurgia, por exemplo, passa facilmente de R$ 5 mil, enquanto uma consulta comum é no mínimo R$100,00 na rede tradicional.

Atualmente, apareceram opções de clínicas com custos mais baixos e desconto que diminuem o gasto com consultas e exames, mas claramente não apresentam os mesmos benefícios de um plano de saúde.

Por esse motivo, a melhor opção para consultas, exames e casos de emergência sem dúvidas é o convênio médico – contando que você consiga escolher um bom plano.

Importância de escolher bem o plano de saúde

Saber como optar por um convênio é uma condição básica de um adulto se você quer dormir sem preocupações com imprevistos da vida.

28% da população brasileira tem convênio médico conforme a Agência Brasil publicado pela Pesquisa Nacional de Saúde 2019 do IBGE, essa porcentagem equivale a 59,7 milhões da população.

Essa pesquisa também informa que 46,2% dos possuintes pagam pelo convênio direto a operadora, ao mesmo tempo que 45,4% paga por um plano empresarial.

Outra sondagem feita pelo IESS juntamente com o Ibope e divulgado na Exame em 2019, indica que 90% dos titulares utilizam o convênio no mínimo uma vez ao ano.

Uma pesquisa do Datafolha de 2018 revela que somente a casa própria é mais relevante que o convênio para os brasileiros – e que 80% gostam do plano de saúde adquirido.

Para fazer parte das pessoas que aprovam seus convênios, você precisa optar por um plano que satisfaça suas exigências médicas.

Por exemplo, você gostaria de receber atendimento somente em seu estado ou em todos os estados? Em caso de internação, gostaria de um quarto só pra você ou ficar em uma enfermaria com mais pessoas? Quer efetuar o pagamento da mensalidade com tudo incluso ou pagar coparticipação?

Esses e outros requisitos vão determinar que tipo de convênio você necessitasse e quais coberturas são indispensáveis.

Dá para escolher um plano de saúde que você possa pagar?

Com certeza, existe a possibilidade de optar por um convênio que você consiga pagar, conforme aquilo que você precisa. Atualmente as operadoras apresentam diversas opções de convênios com diversas coberturas e preços antagonistas.

Tem convênios simples que cobrem poucas coisas ou uma região de atendimento restrita, por exemplo, que conseguem ter um ótimo custo-benefício para pessoas que não façam o uso dos serviços sempre.

Outro motivo que diminui significativamente o preço mensal é a aderir um convênio empresarial, ao invés de um individual.

Se você raramente utiliza, pode escolher pelo plano com coparticipação, que é mensalmente menor e cobra uma taxa simbólica pelo atendimento.

Como escolher seu plano de saúde ideal em 9 passos

Aprender como optar por um convênio médico é necessário para cuidar da sua saúde.
Veja nossas instruções e escolha o convênio ideal para você.

1 | Escolha o tipo de contratação

Para dar início, existem três tipos de contratação para convênio médico:

  • Coletivo empresarial: sua empresa oferece o plano;
  • Individual ou familiar: você procura a operadora para contratar o plano;
  • Coletivo por adesão: sua associação profissional ou sindicato oferece o plano.

Geralmente, os planos conjuntos saem mais barato do que o individual. É necessário lembrar que você pode ter um convênio empresarial sendo MEI – o que diminui significativamente os gastos.

2 | Defina a área de atendimento

Os convênios médicos podem ser nacionais, estaduais, para alguns estados, para alguns municípios ou só para sua cidade.

Se você está frequentemente em outros estados, é importante que você tenha um convênio que fornece atendimento no país todo ou pro estado em que você mais visita.

Porém, se você precisa de atendimento somente em sua cidade ou estado, o custo do convênio pode ficar mais barato.

3 | Fique atento às coberturas

O processo mais importante para você optar por um convênio é através das coberturas, visto que isso define quais benefícios você terá.

Temos resumidamente cinco segmentos assistenciais:

  • Ambulatorial: cobre apenas consultas, exames e terapias
  • Hospitalar com ou sem obstetrícia: cobre apenas internações em hospitais (com ou sem direito a parto)
  • Ambulatorial + hospitalar com ou sem obstetrícia: cobre consultas, exames, terapias e internações (com ou sem direito a parto)
  • Odontológico: cobre apenas assistência odontológica
  • Referência: cobre consultas, exames, terapias, internações e parto (a cobertura total é válida 24 horas depois da adesão, sem carência)

Evidentemente, que a plana referência é o melhor, mas também o que proporciona uma despesa maior.

O melhor é você optar por um convênio que cubra o plano hospitalar + ambulatorial – e caso você pretenda ter filhos, a cobertura de parto é essencial.

4 | Escolha a acomodação

Você pode optar por ficar em um quarto ou enfermaria em caso de internação.

Obviamente que o quarto é o mais cômodo, mas também o mais caro.

5 | Analise a rede credenciada

É necessário verificar toda a rede credenciada para saber onde você conseguirá receber atendimento.

Qualquer plano tem sua rede de clínicas, médicos, hospitais e laboratórios, e cabe a você analisar se os serviços prestados são suficientes.

Não se esqueça de dar prioridade para qualidade e não quantidade, optando por convênios que fornecem bons profissionais e hospitais.

6 | Verifique a carência

De acordo com a lei, os convênios podem estabelecer um período de carência até a liberação dos serviços, seguindo os critérios abaixo:

  • 24 horas para urgências e emergências;
  • 180 dias para demais coberturas;
  • 300 dias para partos a termo (gestações com mais de 37 semanas).

Se você possui um plano já há algum tempo, é aceitável mudar de plano sem efetivar uma outra carência – verifique as possibilidades de portabilidade no site da ANS.

7 | Leia e preencha a proposta de adesão com cuidado

É indispensável realizar a leitura do contrato antes de assinar para que, no caso de dúvidas, elas sejam esclarecidas.

Seja verdadeiro sobre as doenças que você sofreu no momento em que estiver preenchendo a Declaração de Saúde, e sobretudo, peça a orientação de um profissional.

Além disso, verifique atentamente se os requisitos apresentados no contrato (tipo de plano, coberturas, carência, serviços extras, etc.) não estão diferentes do plano que você combinou.

8 | Considere os reajustes

Os convênios médicos sofrem dois tipos de reajuste: o aumento por mudança de faixa etária e o anual.

A ANS divulga anualmente a porcentagem máxima de reajuste para convênios familiares e individuais. Ao mesmo tempo os convênios empresariais e coletivos sofrem reajuste de acordo com as condições da operadora e tratados com empresários.

9 | Avalie a reputação da operadora

Por último, antes de assinar a adesão, analise a fama da operadora no mercado.

Existe um ranking de operadoras no site da ANS que você pode verificar a qualidade do plano de saúde e acompanhar processos de falência ou ocorrências de suspensão.

Além do mais, você pode verificar nos comentários do Google e no Reclame Aqui para saber a opinião dos clientes sobre o convênio.

Viu só!? Não é impossível escolher um plano de saúde que você consiga pagar. Faça seu comentário revelando se nossas dicas te ajudaram na escolha.

Comentários estão fechados.